O modelo de processos preventivos e ações educativas tem que ser revisado. Há que revisar nossos modelos de capacitação e treinamento dentro das empresas, sob pena de serem realizados altos investimentos em ações sem que seja gerada mudança de consciência e comportamento. Os aprendizes como “receptores” passivos à informação estão em franca decadência. O ser humano atual é hiper-estimulado, com livre acesso à informação, mais exigente quanto ao tipo de estímulo que recebe, mais crítico à cerca do que lê e ouve, bastante desatento e disperso. Este paradigma não se muda de um dia para a noite.

Para incentivar comportamentos seguros numa empresa do setor automóvel foram identificados fatores que favorecem e dificultam estes atos. As estratégias identificadas para eliminar ou minimizar os fatores de obstáculos são: área autónoma, superiores hierárquicos “darem exemplos”, definir processos, haver penalizações, cultura, evitar a benevolência e formação.

Os perigos e os riscos são presentes no meio industrial e podem ser reduzidos, para que os acidentes sejam minimizados e eliminados no decorrer do tempo. O projeto de intervenção teve como objetivo capacitar uma equipe multidisciplinar da própria empresa para avaliar e encontrar soluções de transformação às situações com potencial risco de acidentes e/ou afastamentos do trabalho. Os participantes foram instigados a trabalhar em equipe, discutir suas visões e experiências para antecipar os riscos. A intervenção atingiu os resultados esperados, ressaltam-se a evolução dos níveis de conhecimento antes e depois do processo.

Pág. 2 de 2

Segurança Comportamental

A revista Segurança Comportamental é uma revista técnico-científica, com carácter independente, sendo a única revista em Portugal especializada em comportamentos de segurança.

Social Share

Pagamentos

# # # #


 

Top
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…