SUMÁRIO

SEGURANÇA COMPORTAMENTAL NA SOCIEDADE

07 | TECNOLOGIAS
Utilização excessiva do smartphone: implicações para os indivíduos pela não recuperação.
Sónia P. Gonçalves

SEGURANÇA COMPORTAMENTAL NO TRABALHO

12 | AVIAÇÃO
Fator humano – complementaridade e independência entre Safety I & Safety II resulta em Safety III.
Natividade Gomes Augusto

23 | CONSTRUÇÃO CIVIL
Riscos psicossociais: estudo de caso no setor da construção.
João Sequeira & João Areosa

CONSIDERAÇÕES TEÓRICO-PRÁTICAS

36 | CONFIABILIDADE HUMANA E COMPORTAMENTOS
Ergonomia cognitiva: confiabilidade humana e comportamentos seguros. Reflexão sobre o programa de capacitação em ergonomia cognitiva com foco na confiabilidade humana.
Claudia Olläy & Flavio Kanazawa

46 | GAMIFICAÇÃO
Gamificação como técnica de aprendizagem em segurança no trabalho.
Cláudio César Pontes

53 | EMERGÊNCIA E COMPORTAMENTOS
Gestão da emergência e mudança comportamental. Avaliação de exercícios; Implementação de medidas corretivas.
José Goulão Marques

Pouco se sabe, porém, muito se atribui à questão do erro humano ou fator humano relacionado aos acidentes de trabalho. Nesse contexto, a implementação do “programa de capacitação em ergonomia cognitiva com foco na confiabilidade humana” é uma das possibilidades para fazer diferença na mudança de comportamento. Esta pesquisa é do tipo revisão sistemática de literatura sob a perspectiva de estudo explicativa. O estudo evidenciou que este programa é viável e favorável à empresa que deseja prevenir e/ou diminuir os acidentes de trabalho por erro humano.

Em Portugal, registaram-se mais de 2,1 milhões de idosos em 2017, o que equivale a cerca de 21% da população total no país. Segundo Euromonitor International os portugueses constituem a quinta população mais envelhecida do mundo. O processo de envelhecimento traz consigo, habitualmente, complicações diversas na saúde das pessoas, pelo que urge a importância crescente da prevenção e de novos comportamentos e hábitos de vida. Tendo este grupo de risco tendencialmente uma redução de mobilidade, uma das maiores preocupações, seja em casa ou na rua, são as quedas. São aqui apresentadas as medidas relacionadas não só com a mudança de comportamentos e hábitos do indivíduo tanto a nível físico, psicológico e social, mas também, nas condições habitacionais.

As empresas têm crianças a trabalhar?
Então, porque utiliza a Pedagogia?
Venha conhecer a Andragogia!
Previna Ocorrências!

A mesma política, o mesmo sistema de gestão de segurança, os mesmos recursos, as mesmas atividades, as mesmas iniciativas, os mesmos perigos e riscos e as mesmas intervenções, geraram resultados significativamente diferentes neste caso do setor elétrico. Acredita-se que o conhecimento por parte das organizações das necessidades e características pessoais dos seus colaboradores é determinante para uma melhor compreensão dos seus comportamentos e assim se poder utilizar a comunicação e o envolvimento como um meio poderoso ao nível da própria mudança na apropriação do valor segurança.
O que aqui se pretendeu demonstrar, neste artigo, é que, apesar de todo o esforço que uma organização faça através do seu sistema de gestão da segurança, se o “comportamento” de toda a organização não estiver devidamente alinhado e não for visível e coerente com a política declarada, os resultados certamente não serão os esperados.

A melhor forma de prevenção contra incêndios em casa é conhecer e treinar os comportamentos adequados, com toda a sua família e amigos. Conheça as regras de segurança a adoptar em sua casa! 

SUMÁRIO 5
SOCIEDADE
ESCOLA | 4
O Programa Escola Segura e a diminuição de atos de violência: origem e contributo da Polícia de Segurança Pública
Fábio Fernandes de Castro
FAMÍLIA | 6
Produtos químicos e crianças: que comportamentos de segurança deveremos ter?
Maria João Oliveira
SAÚDE PÚBLICA | 8
Programa entrar em (Re)Forma: promoção da prática de atividade física na transição para a fase de reforma
Márcia Fernandes

GRANDE ENTREVISTA (Acesso gratuito)
Grande Entrevista com FERNANDA CORREIA | 24
Diretora da NORAUTO Portugal

TRABALHO
INDÚSTRIA - SETOR ELÉTRICO | 10
Perceção de risco e trabalho no setor de energia elétrica
Paulo Brito, Iara Picchioni Thielen, Diogo Picchioni Soares, Hamilton Costa Júnior
INDÚSTRIA - SETOR PETROLÍFERO | 16
O papel da segurança de processo na sustentabilidade de uma empresa de petróleo e gás
Hélder Figueira
INDÚSTRIA - SETOR ALIMENTAR | 19
A importância dos comportamentos na segurança alimentar
Alexandra Sousa
SERVIÇOS - SETOR ADMINISTRATIVO | 22
Programa de prevenção de LMERT: implementação em tempo de crise - estudo piloto no setor administrativo
João Parreira, André Félix
SAÚDE - SETOR DE ENFERMAGEM | 29
Riscos ergonómicos em atividades de enfermagem no contexto domiciliário
Madalena Torres, Joana Martins, Paula Carneiro

CONSIDERAÇÕES TEÓRICO-PRÁTICAS
COLABORAÇÃO | 32
Promover comportamentos de colaboração influencia um ambiente de trabalho mais seguro e saudável – estudo de caso
Alexandra Nogal
RISCO | 36
Perceção e aceitabilidade social do risco – uma abordagem sociológica
Sandra Guerreiro
RESPONSABILIDADES | 40
Assumir responsabilidades: Caminho para a melhoria do desempenho em segurança
Ricardo Hojda
COACHING | 38
Coaching nos programas comportamentais de segurança
Everton Doalcei Xavier
COMITÉ OPERACIONAL | 42
Importância do comité operacional e a influência na velocidade do programa comportamental
Natividade Gomes Augusto, José Alves

BREVES | 45

Pág. 1 de 2

Segurança Comportamental

A revista Segurança Comportamental é uma revista técnico-científica, com carácter independente, sendo a única revista em Portugal especializada em comportamentos de segurança.

Social Share

Pagamentos

# # # #


 

Top
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…