PROMOVER COMPORTAMENTOS DE COLABORAÇÃO INFLUENCIA UM AMBIENTE DE TRABALHO MAIS SEGURO E SAUDÁVEL – ESTUDO DE CASO

29 abril 2017
(0 votos)
Author :   Alexandra Nogal
Citar ARTIGO: Nogal, A. 2012. Promover comportamentos de colaboração influencia um ambiente de trabalho mais seguro e saudável – estudo de caso. Revista Segurança Comportamental, 5, 32-34 Alexandra Nogal | Occupational Health and Safety Manager, ZTE Portugal

Atividades que promovam a colaboração entre trabalhadores e o sentimento de pertença na empresa, facilitam o processo de mudança comportamental, tendo aumentado o número de reportes de situações de risco e a preocupação com o bem-estar do outro.

O Setor das telecomunicações e a empresa ZTE
O setor das telecomunicações inclui os detentores das redes de telecomunicação (as entidades operadoras), os fabricantes de equipamentos quer para a criação e evolução dessas redes quer para a utilização da rede. Inclui ainda uma multiplicidade de serviços relacionados com a implementação, gestão e manutenção tanto da rede de telecomunicações e seus equipamentos como dos equipamentos do utilizador comum.
A ZTE abrange várias das atividades do sector das telecomunicações.
Em Portugal, foi iniciada a sua atividade no ano de 2003, focada na área comercial e de gestão de projetos, tanto dos equipamentos de sistemas como de terminais. Faz parte da nossa visão considerar que quando uma pessoa gosta do que faz e da empresa onde trabalha sente-se motivada, tem um comportamento proactivo e investe continuamente nessa empresa. Essa motivação e esse comportamento proactivo podem ser orientados para objetivos que melhoram e mantêm um ambiente de trabalho saudável e seguro. Desenvolvemos várias iniciativas de forma a promover comportamentos de colaboração, de solidariedade e interajuda, de transparência, com foco na melhoria das relações interrelacionais do ambiente de trabalho.

O que temos feito e como atingir esse objetivo?
Existem, por exemplo, atividades tradicionais anuais, como o almoço de Natal e o dia de team-building na Primavera/Verão. Existe ainda um torneio de bowling anual. Essas atividades têm lugar durante as horas e dias de trabalho de forma a não afetar a vida pessoal dos trabalhadores. São totalmente opcionais. Existe uma zona de lazer com uma mesa de ping-pong. As pessoas podem libertar-se do stress ou simplesmente divertirem-se, normalmente à hora de almoço ou ao final do dia de trabalho. Promovemos iniciativas e ideias individuais ou de grupos de trabalhadores. Isto mostra às pessoas que as suas ideias são importantes e que são as pessoas que fazem a empresa. Uma pessoa sugeriu um torneio de ping-pong, pesquisou as regras e organizou o registo dos jogadores. Os recursos humanos suportaram a iniciativa divulgando-a e proporcionando prendas simbólicas. Algumas pessoas queriam aprender chinês e português. De sua própria iniciativa fundaram o “clube de aprendizagem de línguas”. Uma vez por semana um estudante de chinês dá uma aula de português e uma vez por semana um estudante de português dá uma aula de chinês. Além da vantagem óbvia que isso trás, os recursos humanos da empresa promoveram esta iniciativa registando as formações no sistema oficial, possibilitando a atribuição de uma pequena compensação ao formador por cada aula ministrada. As pessoas têm tendência a partilhar o que têm. Por exemplo, houve uma delas recebeu um jogo de dardos na troca de prendas do Natal e decidiu colocá-lo na zona de lazer para que todos pudessem usufruir. Outra tradição é comemorar os aniversários. Esta ação é apoiada pelo departamento administrativo. As pessoas trazem um bolo e é enviado um email para todos. No final desse dia são cantados os parabéns em pelo menos duas línguas (português e chinês).

Tem funcionado?
Com o objetivo de avaliação a perceção que os trabalhadores tinham destas iniciativas, foi realizado um inquérito interno. O inquérito foi distribuído aos trabalhadores, assim como, a outros colaboradores que também participam em algumas das atividades, nomeadamente consultores. A tabela n.º1 indica o número total de pessoas na empresa, o número de pessoas a quem foi distribuído o questionário e o número de respostas obtidas. O questionário foi distribuído a 76% dos trabalhadores e a 94% dos outros colaboradores. A percentagem de resposta foi de 76% para os trabalhadores e 88% para os outros colaboradores. Face ao número total de pessoas a percentagem de resposta é de 58% para os trabalhadores e 82% para os outros colaboradores. O facto de haver trabalhadores de férias ou deslocados no momento em que foi efetuado o questionário influenciou estas percentagens. As atividades incluídas no questionário vêm indicadas na tabela n.º2. Para cada atividade o inquirido indicou o grau de concordância com seis afirmações, apresentadas na tabela n.º 3, de acordo com a escala da tabela n.º 4. As respostas são apresentadas em forma de percentagem, permitindo a sua fácil interpretação, correspondendo 50% a uma opinião neutra. Valores abaixo dos 50% denotam opiniões negativas e valores acima de 50% exprimem opiniões positivas. Todas as atividades têm um grau de aprovação positivo, sendo consideradas uma boa ideia, desejável a sua manutenção e que contribuem para o bem-estar no local de trabalho. Apesar disso existem diferenças entre elas. As atividades com maior grau de aprovação são também as mais antigas. Além disso, o grau de aprovação das atividades está correlacionado com o grau de participação nas mesmas (r0,97). Existe uma boa correlação entre as atividades nas quais se verifica maior participação e as que têm maior impacto, tanto no estímulo da relação entre colegas (r0,95) como na promoção de um sentimento de pertença na empresa (r0,96).
O facto de a atividade ser iniciativa da empresa ou dos trabalhadores não é determinante para o grau de aprovação, visto existirem atividades com grande aprovação para as várias fontes de iniciativa. Os resultados por atividade são apresentados na tabela n.º 5 em que a escala de cores corresponde aos intervalos indicados na tabela n.º 6.

 Tabela n.º1 – Dados da realização dos questionários.

Tabela n.º 2 – Atividades incluídas no questionário interno e respetivo grau de aprovação

Tabela nº. 3 – Afirmações do questionário, para cada atividade, e grau de concordância com as mesmas

Tabela n.º 4 – Escala de valores do grau de concordância

Tabela n.º 5 – Resumo dos resultados obtidos

Tabela n.º 6 – Escala de cores aplicável à tabela 5

Comunicação é essencial para o sucesso!
Nos nossos questionários internos perguntámos qual o meio de comunicação preferencial. A maioria mencionou os emails diretamente enviados, embora alguns também tenham mencionado a newsletter interna e posters/folhetos. Temos investido na diversificação dos canais utilizados para comunicar informação, privilegiando o email direto. Em termos de comunicação e de saúde e segurança do trabalho (SST), foi criada uma comissão em 2011. Essa comissão inclui o diretor geral, o representante da gestão de topo para a SST, a responsável pela SST, as responsáveis dos departamentos administrativo e de recursos humanos, uma representante do departamento financeiro e a representante dos trabalhadores em matéria de SST. Isto permite a discussão de ideias de vários pontos de vista e dá suporte à tomada de decisões por parte do diretor geral. Esta comissão reúne pelo menos duas vezes por ano, embora em 2011 tenha-se reunido quatro vezes. Todos os membros estiveram presentes nestas reuniões, mostrando interesse e investimento real na área da SST. Algumas ou quase todas as atividades acima mencionadas podem aparentar nada ter a ver com a SST. Contudo, todas elas promovem um sentimento de pertença e de união, essencial para a eficácia da implementação de mudanças ou procedimentos e da modelação comportamental. Elas criam a possibilidade de melhorar ou manter comportamentos saudáveis e seguros no trabalho. Acidentes mais graves com baixa nunca ocorreram na empresa. O registo de pequenos acidentes e de situações em que a segurança possa vir a ser melhorada é algo que foi iniciado em 2011. Para eliminar ou reduzir riscos relacionados com situações perigosas das quais se tinha conhecimento foram implementados novos procedimentos. De forma a criar dados para análise deu-se início ao registo de todo o tipo de informação (todo o tipo de acidentes e quase acidentes, situações de perigo ou de dano material, manutenções e reparações). Esse histórico está, portanto, a ser agora criado, com base nas situações que vão sendo reportadas, todos têm contribuído para a criação desse histórico. Reportam situações que anteriormente eram descartadas, tendo abertura e ambiente relacional para reportarem situações de risco que possam estar relacionadas também com outras pessoas.
É visível em conversas e comentários o aprofundar da solidariedade entre colegas, a preocupação com o bem-estar e a segurança e saúde uns com os outros. Por estas razões, parece-nos poder concluir a existência de um aumento do nível de consciência em relação à saúde e segurança no local de trabalho.

Segurança Comportamental

A revista Segurança Comportamental é uma revista técnico-científica, com carácter independente, sendo a única revista em Portugal especializada em comportamentos de segurança.

Social Share

Pagamentos

# # # #


 

Top
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…