OS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM COLABORATIVA NA PROMOÇÃO DA PREVENÇÃO E SEGURANÇA EM CONTEXTO EDUCATIVO

30 abril 2017
(0 votos)
Author :   Orlando Queirós
Citar ARTIGO: Queirós, O. 2011. Os Ambientes Virtuais de Aprendizagem Colaborativa na Promoção da Prevenção e Segurança em Contexto Educativo. Revista Segurança Comportamental, 3, 26-27 Orlando Queirós | Instituto de Educação – Universidade do Minho

Sendo a escola um espaço de socialização por excelência, é importante integrar nos projectos educativos temáticas sobre segurança e higiene. As tecnologias da informação e comunicação podem desempenhar um papel fundamental, uma vez que têm modificado progressivamente as formas de nos relacionarmos com a aprendizagem.

As escolas, onde a maioria das pessoas passa uma grande parte do seu tempo na infância e juventude, são um local decisivo para a socialização e a construção de um conjunto de valores que integrará a sua personalidade.
Além de locais de trabalho, constituem, também, locais de aprendizagem e treino das práticas de cidadania, do conhecimento entretanto adquirido e da compreensão da realidade envolvente. Tendo estes locais um papel primordial para a promoção de contextos pedagógicos e sociais facilitadores da integração na vida activa dos seus alunos, de forma responsável e consciente, é necessário que se viva a escola, preparando “Um futuro com futuro”. Quer isto dizer que é necessário fomentar uma postura de sustentabilidade dos espaços e experiências vividas por todos os que aí convivem, aprendem, brincam e trabalham. A procura constante de fazer das escolas espaços que integrem a perspectiva da prevenção, nos seus diversos aspectos, pretende promover experiências de vida também elas orientadas para a sustentabilidade.
As tecnologias da informação e comunicação (TIC) transformam os tempos e as formas tradicionais de nos relacionarmos com a aprendizagem. Modificam progressivamente a percepção da realidade, à medida que criam novas formas de interagirmos uns com os outros, novas formas de acesso ao saber e de construção do conhecimento. A sua utilização requer o desenvolvimento de novas competências e habilidades e acaba por gerar uma nova relação com o tempo, o espaço e a distância na sua pluralidade. O grande desafio da escola do futuro é o de criar comunidades ricas de contexto onde a aprendizagem individual e colectiva se constrói e onde os aprendentes assumem a responsabilidade, não só da construção do seu próprio saber, mas também da construção de espaços de pertença onde a aprendizagem colectiva tem lugar. Essa aprendizagem pode ser reforçada pelo recurso às novas tecnologias, sendo que, mais importante que os ‘conteúdos’, são os ‘contextos’, que soubermos criar para dar vivência aos ‘conteúdos’.
Num trabalho de investigação apresentado na Universidade do Minho em 2005, foram verificados 2625 acidentes escolares nos Agrupamentos de Escolas do Concelho de Braga entre 1998 e 2003. Daqui se pode ver a importância de proporcionar actividades que confrontem os alunos directamente com os perigos para que estes exercitem atitudes facilitadoras da solução para o problema detectado. É importante sensibilizar para o cumprimento das prescrições sobre segurança e higiene e, simultaneamente, integrar estas temáticas nos projectos educativos das escolas. Estas desempenham um papel determinante na socialização e inserção dos jovens na vida activa.

«É importante sensibilizar para o cumprimento das prescrições sobre segurança e higiene e, simultaneamente, integrar estas temáticas nos projectos educativos das escolas.»

Pretende-se promover a prevenção, saúde e segurança no contexto educativo utilizando-se a plataforma de aprendizagem – Moodle, sobre a temática da “Prevenção, Saúde e Segurança nas Escolas”, (veja-se site bibliografia), incluindo-se objectos de aprendizagem, recursos digitais interactivos multimédia, especificamente, textos, imagens e vídeos abordando diversos temas, nomeadamente, prevenção e segurança na Escola, violência escolar, educação para a saúde, prevenção e protecção na família e prevenção na formação profissional, correspondendo a disciplinas na plataforma Moodle. Em cada uma das disciplinas, encontram-se os subtemas com os recursos disponíveis que posteriormente serão desenvolvidos de acordo com as necessidades dos respectivos participantes.
Esta investigação enquadra-se no eixo de referência para o desenvolvimento do Projecto Educativo do Agrupamento de Escolas de Mondim de Basto, com o tema “Por uma Escola de Valores e Cidadãos Responsáveis”, seguindo as linhas orientadoras desse projecto, nomeadamente: Interiorização dos valores cívicos e de cidadania; Promoção da integração e participação de todos os agentes educativos.
As características deste estudo induzem-‑nos para a realização de uma análise descritiva dos dados recolhidos, remetendo-‑nos estes para um estudo não experimental de índole descritivo, avaliando as condições em que foi desenvolvido e as opiniões dos participantes, observando as interacções entre os diferentes participantes e analisando as dinâmicas de aprendizagens conseguidas nas diversas actividades realizadas. A investigação contempla 4 fases importantes, nomeadamente: Concepção da unidade de formação; Desenvolvimento do estudo; Recolha de dados, e; Análise dos Resultados e respectivas conclusões. Neste momento, a investigação encontra-‑se na fase de desenvolvimento do estudo que será realizado numa modalidade que contempla numa fase inicial, sessões de trabalho para professores, que irão posteriormente implementar nos respectivos projectos curriculares de turma, com os seus alunos.

Algumas soluções:
- Sensibilizar a comunidade escolar para o cumprimento de prescrições de higiene e segurança;
- Integrar a temática da segurança no projecto educativo das escolas;
- Promover o uso das tecnologias da informação e comunicação na aprendizagem, e concretamente nos temas de higiene e segurança.

Espera-se que se alcance no final uma melhoria das condições de trabalho dos alunos, nomeadamente, a comunicação e a partilha de informação trabalhando em colaboração na plataforma Moodle, a sensibilização de toda a comunidade educativa para os procedimentos de autoprotecção, o cumprimento das normas de prevenção e segurança e o desenvolvimento do potencial criativo dos alunos, através da utilização das novas tecnologias introduzindo as TIC de forma inovadora no currículo de uma forma transversal, apoiando-se assim em novas metodologias e promovendo o desenvolvimento de competências básicas em TIC e no domínio das diferentes áreas curriculares ao nível dos conteúdos das disciplinas e projectos das áreas não disciplinares.
Para Dias (2004), “...a formação de comunidades de aprendizagem orientadas para o desenvolvimento dos processos colaborativos, compreende a criação de uma cultura de participação colectiva nas interacções que suportam as actividades de aprendizagem dos seus membros...”

Bibliografia
Dias, P., Processos de aprendizagem colaborativa nas comunidades on-line – Capítulo I. In Ana Dias e Maria Gomes, E-Learning para E-Formadores, 2004, Guimarães: TecMinho – Gabinete de Formação Contínua da Universidade do Minho.
http://prevencao.nonio.uminho.pt.

Segurança Comportamental

A revista Segurança Comportamental é uma revista técnico-científica, com carácter independente, sendo a única revista em Portugal especializada em comportamentos de segurança.

Social Share

Pagamentos

# # # #


 

Top
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…